terça-feira, 15 de janeiro de 2013

A arte está nos olhos de quem vê... lê... sente!


A arte está nos olhos de quem vê... lê... sente!

Escritero Junior Junior




O teu silêncio!

Hoje não tenho muito o que falar. Hoje palavras tornaram-se silêncio em nossas almas.
Se todo silêncio pudesse ser ouvido!
Tantas vezes tentei te mostrar a verdade. Existe algo novo dentro de mim. Lanças que feriram meu coração sem perdão!
Tente ver o mal que sou. Com o que sobrou em minhas mãos. Posso te falar das dores
Tenho ‘Quatro’ em mim, não em ti!
Eu sou um poeta. Romântico e enamorado. Com os olhos cansados de te procurar – olhar para você. Já não sei mais falar de flores, rosas e violetas!
Dentro do vazio em meu olhar. Na imensidão deste teu deserto. Teus olhos castanhos, teu sorriso limpo. O silêncio gritou aos meus tímpanos!
Sei amar o abismo e encontrar nele. Um sentimento teimoso. Prisioneiro de. Uma máquina. Rastejando no pó do passado. Como criança perdida!
Não sei se sou. A sentença escrita em papiro. Eu já nem mais reconheço a mim. Aos poucos fragmentos do que fui!
Primogênito de um braço esquerdo. Sou pássaro procurando pouso. Longe da vida agitada!
Carrego dentro de mim a beleza dos mares. Posso te libertar!
Tenho ‘dois’ em mim, não em ti!
Desde que te vi, me despi. Amei-te em enigmas. Nunca preocupei em apagar rastros!
Imprevisível como onda de mar. Trazia eu no canto do olhar o brilho da morte. Posso eu matar você dentro de mim?
Nunca desejei ser diferente de você!
Ordinário ser humano. Em seus olhos.Uma brisa leve, o sol morno!
E seus olhos. Uma pitada de sal ao vento. Conheces bem a ti mesmo?
Este teu cabelo molhado. Torrente chuva que em minhas memórias cai. Deitado em um canto, posso te ouvir. Ensina-me a ouvir o verbo deste teu coração!
Meu olhar não te fará infeliz! Somos universos vivos, latentes e desejosos!
Existem ‘dois’ dentro de mim, lutam e se agridem. Não desejes tu, ser assim. Coisas no seu imaginário, uma explicação plausível. Coração negro por não entender. Por quanto tempo precisarei morrer. Em cada verso teu!
Quem é você?
Meu doce e amado vampiro!
A face já não esboça o mesmo sorriso. E o mascarado com sua imponente mascara. Um conflito senti diante de ti. Ao tentar desenhar um sentimento. Em silêncio qual alma penada me procuras na escuridão. Sua cabeça “Oca”!
Sorrio do teu lamento. Minha velha mania. Meus poemas fazem parte de um único universo!
Este meu sentimento pertence a ti. Não insista em ser inimigo. Não descortine sua paisagem fria. O sol reluz qual amigo que fere e queima. Meu olhar na escuridão!
Está um dia cinzento.Aos olhos curiosos à procura de fofoca. Que venham os abutres!
Independe de solidão, trabalho ou diversão. Hoje tive um dia de alivio!
Hoje a felicidade invadiu-me. Ao levantar meu olhar. Do alto da escadaria de mármore!
De te lembrar à todos os instantes. Até que voltasse!
Hoje descobri que o amor. Doce amor, quando compartilhado amados – amantes. Amor que chega de mansinho. Livre para voar. Por te amar assim. Por um breve momento. Pude sentir. O despertar no meio da noite!
Que saudades dos teus beijos irreais ... os abraços calorosos e amorosos de outrora. Andar, voar não parar. Eu te amo sorrindo!
Ontem nada desejei. Noite passada me senti completo!
A poeira aproximava-se em redemoinhos. Doce sentir o escorrer. Meus dentes afiados. De buscar em ti. O sono que não me deixa dormir!
Este frio não passa. Não preciso te pedir um pão!
Sonha bruxa maldita. Existe uma tal arrogância no seu falar. Enfie goela abaixo teu sorriso jocoso. O amanhecer não tarda. Quero que saibas, criatura ordinária. A fera nunca esteve presa. Hoje matei-te!
Algo queima em você. Perguntei a um anjo guardião. Que loucura é essa?
Amigo a gente não esquece. Existe uma casa muito bem frequentada!
Hoje novamente não posso falar. Ao longe ouço o lobo a chorar. Ouvir meus próprios gritos!
Hora de partir. Marcando os passos da solidão sinto novamente. Sua presença. Hoje posso dormir.
 Porque sei que um dia nos tocaremos!


***************************************


Nota: Este texto foi escrito com frases iniciais de poemas de outro autor e só foi publicado após a liberação de conteúdo do mesmo! No link abaixo, encontra-se o blog de onde todas as frases foram retiradas, uma de cada um dos 129 poemas de J.S.D publicados entre 08/03/12 e 14/01/13.
Eu, Junior Junior, apenas remanejei a ordem das frases para criar este texto!
Plágio é crime! Respeite!

Origem das frases.



Nenhum comentário:

Postar um comentário